Atualidade

Candidaturas para prémio com foco na Saúde Cardiovascular da Mulher abertas até 31 de dezembro

A Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) lança o prémio “Saúde Cardiovascular na Mulher”. Este galardão visa incentivar o desenvolvimento de trabalhos de investigação clínica inovadores, que contribuam para o progresso e dinamização da área da saúde cardiovascular da Mulher. As candidaturas à 1ª Edição já se encontram abertas, e os interessados podem concorrer até 31 de dezembro.

Todos os autores, ou grupo de autores, que desenvolveram um trabalho de investigação original nos domínios da prevalência, diagnóstico, prevenção ou tratamento das doenças cardiovasculares na Mulher, podendo incluir estudos clínicos ou outra tipologia de estudos, desde que previamente aprovados pelas entidades competentes, podem submeter os seus trabalhos em formato PDF através do e-mail: secretariado@spc.pt.

O Prémio “Saúde Cardiovascular na Mulher”, através da SPC, vai atribuir três mil euros ao trabalho de investigação vencedor: dois mil serão entregues no Congresso Português de Cardiologia de 2023, e os restantes mil euros após a publicação do trabalho numa revista ou jornal com peer-review.

Todos os trabalhos serão analisados por um Júri composto por três elementos de reconhecido mérito científico, nomeados pela Direção da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, e a sua avaliação basear-se-á: na importância clínica abordada pelo trabalho, originalidade e robustez dos resultados.

De acordo com a SPC, “atualmente, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte das mulheres portuguesas. Com a criação do Prémio, a SPC pretende dinamizar e incentivar a investigação científica nesta área, de modo a contribuir para a progressão do conhecimento científico e garantir a melhoria da prestação dos cuidados de saúde às mulheres”.

Este é um prémio que conta ainda com o patrocínio da Organon Portugal.

Saiba mais sobre aqui.

Patrocínio

Os dados, opiniões e conclusões expressos nesta publicação são da exclusiva responsabilidade do(s) seu(s) autores e não representam necessariamente os de Bial, não podendo, em caso algum, ser tomado como expressão das posições de Bial. Bial não se responsabiliza pela atualidade da informação, por quaisquer erros, omissões ou imprecisões.