Atualidade

CDC estuda risco de inflamação cardíaca após vacinação contra a COVID-19

Um painel de especialistas dos Centros de Controlo e Prevenção das Doenças (CDC) dos Estados Unidos da América vai avaliar os 323 casos de inflamação do músculo cardíaco (miocardite) ou da membrana que o rodeia (pericardite) em pessoas com menos de 30 anos que foram imunizadas com as vacinas da Pfizer-BioNtech ou da Moderna – isto em mais de 310 milhões de doses administradas até agora nos EUA.

De acordo com a informação divulgada por aquele organismo, há registo de inflamações no coração, ainda que raras, em adolescentes e jovens adultos que receberam os fármacos desenvolvidos pela Pfizer (em parceria com a BioNTech) e pela Moderna, duas vacinas centralizadas no método RNA (ácido ribonucleico).

“Os casos são raros e a grande maioria [das ocorrências de inflamações no coração] foi solucionada com descanso e atenção”, disse a diretora do CDC, Rochelle Walensky.

O relatório detalhado sobre os casos de miocardite e pericardite é apresentado amanhã, dia 25 de junho.