Atualidade

CHL e Politécnico de Leiria estudam em doentes hipertensos e/ou diabéticos os efeitos do exercício físico

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) e o Politécnico de Leiria vão iniciar um estudo denominado “Efeito da implementação de consulta de prescrição de exercício e mudança comportamental na saúde e qualidade de vida em doentes hipertensos e/ou diabéticos”, com o objetivo de avaliar os efeitos do exercício físico e da mudança comportamental na situação clínica, aptidão física e saúde mental. Esta investigação interventiva e longitudinal, sob a alçada do Centro de Investigação do CHL, integrará 123 participantes.

Cláudia Caseiro Antunes, interna de formação especializada em Medicina Interna no CHL, e Ricardo Rebelo-Gonçalves, docente na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS) do Politécnico de Leiria, são os investigadores principais do estudo. Adélia Miragaia, assistente hospitalar graduada de Medicina Interna no CHL, Roberta Frontini e Rogério Salvador, docentes no Politécnico de Leiria, são os co-investigadores deste projeto.

“A criação duma consulta de prescrição de exercício físico sempre foi um dos meus objetivos, mesmo antes de ingressar neste internato. É irrefutável a importância desta intervenção na saúde dos nossos doentes, contudo, a sua aplicabilidade sempre foi o principal obstáculo. A parceria com os colegas do Politécnico de Leiria veio colmatar esta lacuna e acredito que temos um núcleo de pessoas, conhecimento e formação capaz de alcançar bons resultados na melhoria da saúde da nossa população”, destacou Cláudia Caseiro Antunes.

Os participantes voluntários serão recrutados para este estudo nas consultas de diabetes e de hipertensão arterial no Hospital de Santo André (HSA), devendo ter mais de 18 anos e podem ser de ambos os sexos, clinicamente aptos e estáveis. Os critérios de exclusão passam por situações identificadas que impeçam de alguma forma a execução do programa de exercício.

Os participantes serão divididos em três grupos de acordo com a motivação para realizar exercício: grupo de controlo (não fazer exercício); grupo home-based (fazer exercício em casa de forma autónoma) e grupo center-based (fazer exercício com acompanhamento presencial).  Do grupo de controlo receberão as recomendações da Organização Mundial de Saúde para a atividade física e comportamento sedentário, e serão incentivados a adotar um estilo de vida saudável, mantendo as consultas e acompanhamento.

Quanto aos participantes dos restantes dois grupos será prescrito um plano de exercício específico e personalizado, de acordo com as necessidades identificadas.

O projeto prevê que realizem, em primeiro lugar, uma avaliação clínica, em contexto de consulta médica de acompanhamento hospitalar, e serão então encaminhados para uma consulta de mudança comportamental com um psicólogo. Por fim, serão orientados para a consulta de prescrição do exercício com um fisiologista do exercício.

O estudo decorre nas instalações do HSA e os programas de exercícios serão supervisionados clinicamente pela equipa médica definida do Serviço de Medicina Interna. A periodização dos planos de exercício, a progressão no volume e intensidade estarão dependentes da capacidade, evolução na perceção de esforço e quadro clínico de cada participante. O treino passa pela combinação de exercícios aeróbicos e exercícios de força.