Atualidade

CHL e Politécnico de Leiria estudam em doentes hipertensos e/ou diabéticos os efeitos do exercício físico

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) e o Politécnico de Leiria vão iniciar um estudo denominado “Efeito da implementação de consulta de prescrição de exercício e mudança comportamental na saúde e qualidade de vida em doentes hipertensos e/ou diabéticos”, com o objetivo de avaliar os efeitos do exercício físico e da mudança comportamental na situação clínica, aptidão física e saúde mental. Esta investigação interventiva e longitudinal, sob a alçada do Centro de Investigação do CHL, integrará 123 participantes.

Cláudia Caseiro Antunes, interna de formação especializada em Medicina Interna no CHL, e Ricardo Rebelo-Gonçalves, docente na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS) do Politécnico de Leiria, são os investigadores principais do estudo. Adélia Miragaia, assistente hospitalar graduada de Medicina Interna no CHL, Roberta Frontini e Rogério Salvador, docentes no Politécnico de Leiria, são os co-investigadores deste projeto.

“A criação duma consulta de prescrição de exercício físico sempre foi um dos meus objetivos, mesmo antes de ingressar neste internato. É irrefutável a importância desta intervenção na saúde dos nossos doentes, contudo, a sua aplicabilidade sempre foi o principal obstáculo. A parceria com os colegas do Politécnico de Leiria veio colmatar esta lacuna e acredito que temos um núcleo de pessoas, conhecimento e formação capaz de alcançar bons resultados na melhoria da saúde da nossa população”, destacou Cláudia Caseiro Antunes.

Os participantes voluntários serão recrutados para este estudo nas consultas de diabetes e de hipertensão arterial no Hospital de Santo André (HSA), devendo ter mais de 18 anos e podem ser de ambos os sexos, clinicamente aptos e estáveis. Os critérios de exclusão passam por situações identificadas que impeçam de alguma forma a execução do programa de exercício.

Os participantes serão divididos em três grupos de acordo com a motivação para realizar exercício: grupo de controlo (não fazer exercício); grupo home-based (fazer exercício em casa de forma autónoma) e grupo center-based (fazer exercício com acompanhamento presencial).  Do grupo de controlo receberão as recomendações da Organização Mundial de Saúde para a atividade física e comportamento sedentário, e serão incentivados a adotar um estilo de vida saudável, mantendo as consultas e acompanhamento.

Quanto aos participantes dos restantes dois grupos será prescrito um plano de exercício específico e personalizado, de acordo com as necessidades identificadas.

O projeto prevê que realizem, em primeiro lugar, uma avaliação clínica, em contexto de consulta médica de acompanhamento hospitalar, e serão então encaminhados para uma consulta de mudança comportamental com um psicólogo. Por fim, serão orientados para a consulta de prescrição do exercício com um fisiologista do exercício.

O estudo decorre nas instalações do HSA e os programas de exercícios serão supervisionados clinicamente pela equipa médica definida do Serviço de Medicina Interna. A periodização dos planos de exercício, a progressão no volume e intensidade estarão dependentes da capacidade, evolução na perceção de esforço e quadro clínico de cada participante. O treino passa pela combinação de exercícios aeróbicos e exercícios de força.

Patrocínio

Os dados, opiniões e conclusões expressos nesta publicação são da exclusiva responsabilidade do(s) seu(s) autores e não representam necessariamente os de Bial, não podendo, em caso algum, ser tomado como expressão das posições de Bial. Bial não se responsabiliza pela atualidade da informação, por quaisquer erros, omissões ou imprecisões.