Atualidade

Dietas ricas em potássio melhoram a sua saúde cardíaca das mulheres

Estudo concluiu que as dietas ricas em potássio estavam associadas a uma pressão sanguínea mais baixa, particularmente nas mulheres com elevado consumo de sal. O aumento da pressão arterial está associado a um risco acrescido de ataques cardíacos e AVC provocados pelo consumo elevado de sal. Com efeito, as recomendações têm-se concentrado na limitação do consumo de sal, mas isto é difícil de atingir quando as dietas incluem alimentos processados. O potássio ajuda o corpo a excretar mais sódio na urina.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os adultos consumam pelo menos 3,5 gramas de potássio e menos de dois gramas de sódio (cinco gramas de sal) por dia. Os alimentos com elevado teor de potássio incluem vegetais, fruta, frutos secos, feijões, produtos lácteos e peixe. Por exemplo, uma banana de 115 gramas tem 375 mg de potássio, 154 gramas de salmão cozido tem 780 mg, uma batata de 136 gramas tem 500 mg, e uma chávena de leite tem 375 mg.

O estudo incluiu 24 963 participantes, 11 267 homens e 13 696 mulheres, cuja idade média foi de 59 anos para os homens e 58 anos para as mulheres. Os participantes preencheram um questionário sobre hábitos de vida, a pressão arterial foi medida, e foi recolhida uma amostra de urina. Foram utilizados sódio e potássio urinários para estimar a ingestão alimentar. Os participantes foram divididos de acordo com a ingestão de sódio (baixa/média/alta) e de potássio (baixa/média/alta).

Os investigadores analisaram a associação entre a ingestão de potássio e a pressão arterial após o ajuste para a idade, sexo e ingestão de sódio, sendo detetada uma relação inversamente proporcional entre consumo de potássio (em gramas por dia) e a pressão arterial nas mulheres – à medida que a ingestão subia, a pressão arterial descia. Quando a associação foi analisada de acordo com a ingestão de sódio (baixa/média/alta), a relação entre o potássio e a pressão arterial só foi observada em mulheres com elevada ingestão de sódio, onde cada aumento de um grama de potássio diário foi associado a uma pressão arterial sistólica mais baixa de 2,4 mmHg. Nos homens, não foi encontrada esta relação.

Durante uma mediana de seguimento de 19,5 anos, 13 596 (55 %) participantes foram hospitalizados ou morreram devido a doença cardiovascular. Os investigadores analisaram a associação entre a ingestão de potássio e eventos cardiovasculares após o ajuste para idade, sexo, índice de massa corporal, ingestão de sódio, uso de drogas para baixar os lípidos, tabagismo, ingestão de álcool, diabetes e ataque cardíaco ou AVC prévio.

Na coorte geral, as pessoas no perfil mais elevado de ingestão de potássio tinham um risco 13 % menor de eventos cardiovasculares em comparação com as pessoas no perfil mais baixo. Quando homens e mulheres foram analisados separadamente, as reduções de risco correspondentes foram de 7 % e 11 %, respetivamente. A quantidade de sal na dieta não influenciou a relação entre os eventos potássicos e cardiovasculares em homens ou mulheres.

Os resultados sugerem que o potássio ajuda a preservar a saúde do coração, mas que as mulheres beneficiam mais do que os homens. A relação entre o potássio e os eventos cardiovasculares foi a mesma independentemente da ingestão de sal, sugerindo que o potássio protege o coração por vias dependentes e independentes da excreção de sódio.

Patrocínio

Os dados, opiniões e conclusões expressos nesta publicação são da exclusiva responsabilidade do(s) seu(s) autores e não representam necessariamente os de Bial, não podendo, em caso algum, ser tomado como expressão das posições de Bial. Bial não se responsabiliza pela atualidade da informação, por quaisquer erros, omissões ou imprecisões.