Helder Dores e Luís Andrade

Intern Challenges: abordagem terapêutica das dislipidemias

“Casos clínicos: como fazer a diferença na prática do dia a dia?” foi o tema de uma das sessões do Intern Challenges, evento de caráter formativo na área dos lípidos, organizado por Bial, que decorreu em formato virtual. A sessão teve como palestrantes o Prof. Hélder Dores, médico de Cardiologia no Hospital da Luz, em Lisboa, e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, e o Dr. Luís Andrade, médico de Medicina Interna, responsável pela Unidade de Diabetes do Serviço de Medicina Interna do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo.

Congresso Português de Cardiologia 2021 conta com a presença de especialistas internacionais

O Congresso Português de Cardiologia 2021 (CPC 2021) que irá decorrer de 30 de abril a 2 de maio, vai incluir a participação de especialistas internacionais. Nos pormenores da programação revelados até ao momento, constam os nomes de 3 especialista de renome na área da imagem e doença valvular: Robert O. Bonow, Rebecca Hahn e Philippe Pibarot.

Robert O. Bonow é o editor principal da JAMA Cardiology, um dos editores principais do Braunwald’s e relator principal das guidelines americanas de doença valvular continuamente desde 1996.

Rebecca Hahn é atualmente uma das maiores autoridades mundiais em ecocardiografia, sendo a responsável por várias das guidelines da American Society of Echocardiography, do Echo Core Lab da Cardiovascular Research Foundation e investigadora de vários ensaios de referência na área da intervenção percutânea aórtica, mitral e tricúspide.

Philippe Pibarot é um investigador dedicado à patologia valvular aórtica. Foi o seu grupo que descreveu a estenose aórtica paradoxal há cerca de dez anos.  Faz parte da equipa de investigadores dos ensaios PARTNER e investigador principal do ensaio PROGRESSA, que estuda a patogénese da estenose aórtica.

O CPC 2021 vai ser realizado em versão virtual, mas manterá o modelo multidisciplinar das sessões com a participação das diferentes áreas de subespecialização da cardiologia, bem como outras sociedades científicas nacionais, como a medicina interna, intensivismo e a medicina geral e familiar.

 

TAC cardíaca e angiografia coronária por TAC já disponíveis no Centro Hospitalar de Leiria

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) já pode realizar os exames de tomografia computorizada (TAC) cardíaca e angiografia coronária por TAC, algo que permite uma avaliação mais adequada de muitos doentes, bem como uma redução na realização de outros exames mais complexos.

Em comunicado, o CHL esclarece que este exame – executado com muito baixo risco para o doente e rápido na sua realização – “é hoje um dos métodos de imagem mais importantes em Medicina Cardiovascular”. Ao observar as artérias do coração, estes dois novos procedimentos ajudam a esclarecer as causas de dor torácica ou outras doenças cardíacas, e em muitos casos, evitar a realização do cateterismo cardíaco, mais invasivo e de maior risco.

“Esta aquisição representa uma importante mais-valia para o CHL e para os doentes que servimos. A partir de agora, é possível dentro do centro hospitalar executar todos os exames de imagem cardiológica, não sendo necessário o recurso a instituições externas, com tudo o que isto significa de conforto para os nossos doentes”, destaca o diretor do Serviço de Cardiologia do CHL, João Morais.

Para a realização destes exames, há uma colaboração entre os serviços de Cardiologia e Imagiologia, uma vez que os procedimentos são realizados, em conjunto, por um radiologista e um cardiologista, todas as terças-feiras, no período da manhã.

Brenda Moura: “Convido todos a participar no CPC2020, o olhar português sobre todas as novidades em Medicina Cardiovascular”

Em vésperas do arranque da reunião magna dos cardiologistas portugueses, o Jornal Médico falou com a presidente da comissão organizadora e científica do CPC2020, evento que vai decorrer em formato online, de 6 a 8 de novembro. Até ao momento, a plataforma do evento conta já com mais de 2400 inscritos.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo.

Cardiologia com 25 vagas por preencher em nova contratação para o SNS

A Medicina Interna é a especialidade hospitalar que vai receber o maior reforço no âmbito dos concursos para a contratação de 950 médicos para o Serviço Nacional de Saúde (SNS), de acordo com o anúncio feito pelo Ministério da Saúde. Neste mesmo âmbito, são 25 os lugares contemplados para a Cardiologia.

O despacho com a distribuição do contingente das 950 vagas do concurso de 1.ª época dos recém-especialistas nas áreas hospitalares (911) e de saúde pública (39) foi publicado, no passado dia 4 de setembro, em Diário da República.

No mesmo dia, foi também divulgado o aviso com a abertura do concurso para o recrutamento de pessoal médico para a categoria de assistente da carreira especial médica e da carreira médica dos estabelecimentos de saúde de entidade pública empresarial, integrados no SNS.

Em comunicado, a tutela precisou que, do total das 911 vagas para as áreas hospitalares, 151 correspondem à Medicina Interna, 68 à Anestesiologia, 63 à Pediatria, 49 à Psiquiatria, 47 à Cirurgia Geral, 43 à Ortopedia, 31 à Ginecologia/Obstetrícia e 30 à Pneumologia.

Entre as áreas com o maior número de postos de trabalho estão também a Neurologia (29), Radiologia (29), Medicina Física e de Reabilitação (28), Oncologia (26), Cardiologia (25), Oftalmologia (24), Otorrinolaringologia (22) e Patologia Clínica (21).

Ainda entre as áreas com maiores vagas figuram a Gastrenterologia (19), Endocrinologia e Nutrição (17), Infeciologia (15), Nefrologia (14), Dermatovenereologia (13), Urologia (12), Hematologia Clínica (11), Anatomia Patológica (11), Imuno-hemoterapia (11), Pedo-Psiquiatria (11) e Reumatologia (10).

Seguem-se as áreas de Estomatologia (nove), Neurocirurgia (oito), Radioncologia (oito) Medicina do Trabalho (sete), Angiologia e Cirurgia Vascular (sete), Neurorradiologia (sete), Imunoalergologia (seis), Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética (seis), Medicina Nuclear (cinco), Cirurgia Pediátrica (cinco) e Cirurgia Maxilo-facial (quatro).

No final da tabela aparecem a Cardiologia Pediátrica (três), cirurgia cardíaca (duas), Cirurgia Torácica (duas), Farmacologia Clínica (uma) e Genética Médica (uma).

De acordo com os dados avançados pelo gabinete de Marta Temido, este concurso representa um aumento de 9,6% dos postos de trabalho face ao ano passado e um acréscimo de 30% nas vagas em comparação com a primeira época de 2016.

A 2 de setembro, a ministra da Saúde havia anunciado a publicação dos concursos para a contratação de 950 médicos para o SNS.

Questionada, na altura, sobre as queixas de alguns hospitais do país de falta de médicos, nomeadamente em Beja, Évora, Santa Maria da Feira e Santarém, a ministra garantiu que têm sido acompanhadas as dificuldades de algumas instituições relacionadas com a carência de profissionais e em particular em algumas especialidades, como a Pediatria.

Patrocínio

Os dados, opiniões e conclusões expressos nesta publicação são da exclusiva responsabilidade do(s) seu(s) autores e não representam necessariamente os de Bial, não podendo, em caso algum, ser tomado como expressão das posições de Bial. Bial não se responsabiliza pela atualidade da informação, por quaisquer erros, omissões ou imprecisões.