Trombose: GESCAT alerta para perigo da doença

No âmbito do Dia Mundial da Trombose, definido pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH) como sendo a 13 de outubro, o Grupo de Estudos de Cancro e Trombose (GESCAT) alerta para a necessidade de consciencialização da população e dos profissionais de saúde para as causas, fatores de riscos e sintomas desta patologia.

“Silenciosa, assintomática, repentina e grave. A trombose é uma doença causada pela formação de um coágulo sanguíneo numa veia, principalmente nos membros inferiores. Se não houver uma ação rápida, pode ser fatal”. Palavras do médico oncologista e presidente do GESCAT, Sérgio Barroso, em comunicado enviado.

Atualmente, estima-se que esta doença afete duas a cada mil pessoas por ano, com uma taxa de ocorrência de 25%. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que a trombose ocorre nas três maiores causas de morte por doenças cardiovasculares no mundo: enfarte, acidente vascular cerebral (AVC) e tromboembolismo (TEV).

“É por este motivo que o GESCAT defende que a trombose deve ser considerada um problema de saúde urgente e crescente e que o primeiro passo para a prevenção (…) é entender como é que esta doença se manifesta no corpo. A falta de conhecimento de grande parte da população acerca desta patologia silenciosa atrasa frequentemente o seu correto diagnóstico e consequente tratamento, o que a torna a principal causa de morte cardiovascular evitável”, esclarece o especialista.

Os membros inferiores são os locais mais comuns de trombose e os principais sintomas são o inchaço, a dor, o calor e a vermelhidão local.

 

Patrocínio

Os dados, opiniões e conclusões expressos nesta publicação são da exclusiva responsabilidade do(s) seu(s) autores e não representam necessariamente os de Bial, não podendo, em caso algum, ser tomado como expressão das posições de Bial. Bial não se responsabiliza pela atualidade da informação, por quaisquer erros, omissões ou imprecisões.