Webinar da AADIC centrado nas perspetivas da Insuficiência Cardíaca (2021-2022)

A Associação de Apoio aos Doentes com Insuficiência Cardíaca (AADIC) promove, a 28 de setembro, a partir das 21h00, a sessão online “Insuficiência Cardíaca: Perspetivas 2021-2022”. Com transmissão exclusiva via Facebook e site da AADIC, o evento conta com a presença de Lino Gonçalves, presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC), Nuno Lousada, membro do Conselho de Administração da Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC) e de Luís Filipe Pereira, presidente da AADIC. A moderação cabe a Maria José Rebocho, cardiologista e membro do conselho técnico-científico da AADIC.

A curto prazo “vão ser retomados alguns projetos que a SPC não conseguiu concretizar por causa da pandemia, como (…) o Porthos, um estudo de grande dimensão que pretende avaliar a prevalência real e caracterizar clinicamente a insuficiência cardíaca em Portugal”, esclarece, em comunicado, o presidente da SPC, assinalando que a estratégia é “aumentar a literacia em saúde na população mais jovem”, num quadro de prioridades em que releva, igualmente, “o reforço do [nosso] Centro Nacional de Coleção de Dados em Cardiologia”.

Nas palavras de Nuno Lousada, sublinha-se a insuficiência cardíaca como “doença que ameaça a vida das pessoas, com uma taxa de sobrevivência que continua baixa e (…) uma prevalência a aumentar (em consequência do aumento da esperança de vida devido a melhores cuidados médicos e sanitários)”.

“A terapêutica atual, com melhores medicamentos e aparelhos, tem melhorado a sobrevida e a qualidade de vida dos doentes, mas implica a toma de um número significativo de medicamentos e de cuidados específicos para manter a eficácia de diversos equipamentos implantados”, explica o administrador da FPC.

No final deste webinar, os doentes e cuidadores na assistência, serão convidados a partilhar dúvidas e pontos de vista com os oradores.

Patrocínio

Os dados, opiniões e conclusões expressos nesta publicação são da exclusiva responsabilidade do(s) seu(s) autores e não representam necessariamente os de Bial, não podendo, em caso algum, ser tomado como expressão das posições de Bial. Bial não se responsabiliza pela atualidade da informação, por quaisquer erros, omissões ou imprecisões.